Dia do Operador: 6 motivos para investir na capacitação do profissional

Dia do Operador: 6 motivos para investir na capacitação do profissional

O investimento em treinamento é fundamental para a eficiência no trabalho e a segurança

Com o crescimento do setor de construção civil no Brasil e também das áreas agrícola e de mineração, o operador de escavadeira tornou-se um dos profissionais mais requisitados do mercado.

A tendência é de um aquecimento ainda maior no futuro para a profissão, segundo estudo da Sobratema (Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração). Conforme especialistas, a construção leve e pesada manteve por três anos seguidos o nível de crescimento de vendas entre 34% e 37%. Deve continuar crescendo em 2024 e a previsão é de deslanchar a partir de 2025. Além disso, há novas oportunidades no agronegócio com uso de maquinários com tecnologia aplicada.

No Dia do Operador de Máquinas, celebrado em 29 de maio, a Link-Belt destaca a importância desse profissional para o desenvolvimento do país e da mão de obra qualificada para acompanhar todos os avanços do setor.

Segundo o Especialista de Produto da Link-Belt, Jean Carlos Ramalho, a falta de treinamento para um operador de escavadeira pode gerar vários problemas como perda de eficiência no trabalho, aumento nos custos de manutenção e, o pior, até mesmo graves acidentes.

6 razões para investir na capacitação dos operadores

  1. Evitar acidentes

Um operador capacitado entende os riscos e coloca em prática as medidas de segurança aprendidas durante o treinamento.

  1. Reduzir consumo de combustível

Um operador treinado pode economizar de 10% a 12% de combustível por dia em comparação com um operador sem qualificação. Isso porque, ao não ter recebido uma capacitação adequada, as chances de cometer erros básicos que resultem em desperdício de combustível são bem maiores.

  1. Evitar desgaste precoce de peças, pneus ou o material rodante

Um equipamento operado constantemente de forma inadequada sofre desgastes excessivos que em geral levam a falhas prematuras.

  1. Reduzir tempo de máquina parada

Normalmente, operadores sem capacitação não possuem conhecimento para realizar a inspeção diária na máquina. Além disso, não conseguem entender os sinais de alerta e advertências que o equipamento dá quando tem um problema. Esses são detalhes essenciais para que a máquina não precise ficar parada para manutenções.

  1. Garantir o alcance dos objetivos e cumprimento dos prazos

Operadores treinados sabem como extrair o máximo de suas máquinas de maneira mais rápida e precisa. Além disso, a probabilidade de cometer erros é muito menor, evitando a necessidade de refazer o trabalho ou de precisar fazer alguma parada não programada.

  1. Aproveitar a tecnologia

Atualmente, as máquinas possuem uma série de tecnologias avançadas capazes de reduzir o consumo de combustível, melhorar a precisão da operação, entre outros benefícios. No entanto, para aproveitá-las, é preciso saber usá-las.

O operador de escavadeira Fernando Besold, da cidade de Pinheiro Preto, Santa Catarina, exerce a profissão há 13 anos. Disse que aprendeu com dois amigos de uma empresa de asfalto onde trabalhou e, desde então, vem se aperfeiçoando. Ele explica que, quando começou na área, não havia muitas variedades de máquinas, mas atualmente estão chegando equipamentos mais modernos, com novas tecnologias, e que é preciso se qualificar para usufruir de tudo o que a máquina oferece e, assim, se manter atuante no mercado. Atualmente, ele opera uma escavadeira Link-Belt modelo 145X3E, adquirida no distribuidor Pavimáquinas, em Chapecó, Santa Catarina.

“Estão trazendo equipamentos bons, principalmente a Link-Belt, que está de parabéns na parte de economia de combustível, de filtro, conforto do operador. Acho que vai chegar mais tecnologia ainda para auxiliar a gente e ficar mais fácil fazer um trabalho. A tecnologia vai facilitar, mas vai ter que ter um estudo, se especializar para operar os equipamentos”, analisa Fernando.

Hoje, há diversos cursos técnicos de operador de escavadeira que proporcionam conhecimento teórico e prático sobre o maquinário. Mas, segundo o operador catarinense, é preciso ir além do conhecimento adquirido no curso técnico, pois há bastante novidade no mercado, o que exige agilidade para acompanhar. “Eu pergunto muitas coisas para os representantes da Link-Belt, marca de escavadeira que opero, e também busco muitas informações pela internet”, diz Fernando.

“Temos visto cada vez mais a demanda por produtos de alta tecnologia que contribuem de maneira geral para uma operação mais segura e eficiente. Periodicamente, são feitas atualizações para adequar os equipamentos às regras dos órgãos federais ou às políticas internas das grandes empresas, que solicitam novas soluções para que as máquinas se enquadrem nas normas de segurança. Dado esse cenário, que já é uma realidade em nosso meio, o correto uso das tecnologias embarcadas, como as presentes nas escavadeiras Link-Belt, e a tendência de crescimento nos próximos anos, com implementação de novas soluções, tornam a tarefa de se manter atualizado e capacitado cada vez mais necessária para o bom desempenho e destaque do profissional”, reforça o Especialista de Produto Jean Carlos.